NOTÍCIAS

Postado em 17 de Setembro às 08h29

Workshop sobre o papel da associação de classe na inovação encerra a Mercoagro On Business

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Presidente da Deatec, André Telöcken, explanou sobre o tema no evento, iniciativa conjunta da ACIC e do BRDE

A tecnologia e a inovação estiveram presentes na Mercoagro (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne) em todos os estandes e eventos científicos, sendo um dos principais pilares da feira. Para trazer informações aos expositores e visitantes sobre como impulsionar o setor de tecnologia, o presidente da Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), André Telöcken, palestrou, nesta sexta-feira (14), sobre o tema “O papel da associação de classe na inovação” durante a programação da Mercoagro On Business, iniciativa conjunta do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC).

Com faturamento estimado de R$ 11,4 bilhões, o setor tecnológico de Santa Catarina já representa aproximadamente 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. São 2,9 mil empresas de tecnologia da informação (TI), com cerca de 5,3 mil sócios empreendedores e mais de 47 mil funcionários, conforme pesquisa desenvolvida pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) em parceria com a Neoway. No ranking de crescimento por regiões catarinenses, o Oeste foi a segunda que mais cresceu (9,6%), atrás somente da região Serrana (11,7%).

Telöcken ressaltou a expansão do setor no Oeste. O segmento movimenta universidades, empresas e o empreendedorismo com a criação de diversas startups. “Chapecó é um dos principais polos de empresas de tecnologia do Estado e é reconhecida como um dos maiores polos do Brasil de startups por média populacional”. Ele enfatizou que o segmento possui empresas que comercializam produtos em todo o País, além de exportar, trazendo riqueza e contribuindo para o desenvolvimento do município.

De acordo com o dirigente, o papel de associações de classe, a exemplo da Deatec, nesse processo, é facilitar o acesso a uma rede de recursos que de forma isolada o micro e pequeno empresário teria dificuldades. Além disso, as parcerias firmadas entre entidades contribuem para encurtar caminhos. “Um exemplo é o acesso a fontes de financiamentos que costuma ser mais ágil quando os projetos são encaminhados por uma entidade”.

Fortalecer o desenvolvimento do ecossistema de tecnologia e inovação do grande Oeste catarinense é um dos objetivos da Deatec. Para isso, além do apoio aos associados, mantém parceria com diversas instituições e entidades ligadas ao setor. De acordo com o presidente, a cooperação entre as empresas e entidades é uma maneira de torná-las mais competitivas. “Por meio de parcerias, é possível fortalecer o poder de compras, compartilhar recursos, combinar competências, realizar pesquisas, entre outras vantagens”.

A Deatec mantém forte parceria com o poder público municipal, entidades empresariais, universidades, iniciativa privada e outras entidades organizadas. “A Associação tem exercido um papel fundamental para o desenvolvimento do ecossistema inovador no Oeste, atuando, desde sua fundação, para fomentar a ampliação de novos negócios e de inovação. A harmonia entre o poder público, as universidades e as empresas, a chamada tríplice hélice, é fundamental. Para isso, contamos com apoio de empreendedores e entidades que acreditam no associativismo”, salienta Telöcken.

Criada em 2005, a Deatec possui abrangência territorial representativa para o segmento de tecnologia nos municípios que compõem o oeste e extremo oeste catarinense, além do Paraná e Rio Grande do Sul. É referência regional na representação do setor de tecnologia e inovação perante universidades, poder público, iniciativa privada e outras entidades organizadas. De acordo com Telöcken, a estimativa para 2018 é encerrar o ano com 120 empresas associadas à entidade, com 2,2 mil colaboradores e faturamento de R$ 110 milhões.

O gerente do BRDE para a região Oeste, Paulo Antoniollo, comentou que o evento fez valer a missão do BRDE que é ir além do apoio creditício, mas também proporcionar subsídios institucionais e tecnológicos aos empreendedores da região onde atua. “Isso foi proporcionado com a palestra do coordenador do Observatório da FIESC, Sidnei Manoel Rodrigues. Além disso, a Mercoagro On Business trouxe conhecimento de tendências do mercado como também de alternativas de financiamento para inovação com condições diferenciadas de juros e prazos nas palestras do gerente regional da Finep, João Florêncio da Silva, e do superintendente da Agência BRDE SC, Nelson Ronnie dos Santos, e os diferenciais e ganhos que o associativismo proporciona, potencializando os negócios, com a palestra do presidente da Deatec, André Telöcken”.

Veja também

Lubrificantes especiais serão expostos pela Interlub29/01 Com atuação em todo o Brasil, a Interlub Especialidades Lubrificantes estará na Mercoagro 2018 (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne), programada para o período de 11 a 14 de setembro, em Chapecó. A empresa fornece soluções em lubrificação para os principais frigoríficos do......
Clínica Tecnológica esclarecerá dúvidas de visitantes e expositores12/09/16 Um local que funcionará como consultoria técnica, como se fosse um laboratório onde serão tratados temas de ponta, incluindo conservação de alimentos, Food Defense, alta pressão, sanidade animal, análise......

Voltar para Notícias (pt)