NOTÍCIAS

Postado em 20 de Outubro de 2017 às 17h48

Suinocultura, conforto térmico e produção animal

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Na suinocultura, um dos maiores problemas relacionados ao conforto térmico e bem-estar animal está na maternidade, onde se tem que criar dois ambientes distintos, com exigências bem diferenciadas onde a temperatura de conforto dos leitões em nascimento deve estar entre 32 e 34 ºC e, aos 35 dias, entre 29 e 31 ºC, sendo que a temperatura ideal para a matriz está entre 16 e 21 ºC.
O leitão recém-nascido possui os sistemas de termorregulação e imunitários pouco desenvolvidos, tornando-se sensível às temperaturas ambientais baixas. Nessas condições, o leitão reduz sua atividade motora e, consequentemente, diminui a ingestão de colostro, acarretando maior incidência de doenças, maior número de leitões esmagados e alta taxa de refugos na desmama, sendo necessários alguns cuidados especiais. A regra básica o produtor deve fornecer aos leitões um ambiente com aquecimento confortável, limpo, seco e desinfetado.
A Forluz, com visão estratégia do mercado visando sempre trazer soluções e tecnologia em aquecimento a seus parceiros, desenvolveu um sistema de aquecimento elétrico que atende efetivamente as condições de conforto para qualquer idade do leitão.
De acordo com testes realizados - com quatro sistemas de aquecimento no mesmo local e período de inverno, do ponto de vista térmico-econômico o aquecimento através de resistência elétrica Forluz se mostrou o mais adequado.
Entre as vantagens estão:
• Melhor custo benefício do mercado, o aquecimento automático e iluminação
• O aquecedor elétrico Forluz apresenta melhor resultado na estabilidade de temperatura e controle de umidade. (ITGU, ITU)
• Menores índices de mortes por esmagamento e doenças
• Resultado garantido no ganho de peso diário do animal.
• Equipamento fabricado totalmente em Aço Inox
• Totalmente à prova d'água, permitindo a desinfecção
• Eficiência energética

Fonte: Ascom Suinocultura Industrial

Veja também

Dados parciais da ABIEC apontam alta de 27% nas exportações de carne bovina em maio07/06/17 Demonstrando uma recuperação do mercado, as exportações de carne bovina tiveram alta de 27% em maio, mês em que foram embarcadas 115,3 mil toneladas, segundo dados parciais da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC). Em maio, o faturamento obtido com as negociações foi de US$ 463 milhões, o que representa um......

Voltar para Notícias (pt)