NOTÍCIAS

Postado em 08 de Dezembro de 2017 às 17h16

Santa Catarina tem preocupação com o bem-estar animal

Notícias (46)

A preocupação com o bem-estar animal está na pauta dos produtores rurais e das
indústrias catarinenses de processamento de carne. Esta é uma questão absolutamente atual. As agroindústrias barrigas-verdes foram as primeiras empresas brasileiras a aderir ao Programa Nacional de Abate Humanitário, mundialmente conhecido pela sigla STEPS. O programa está baseado na formação de multiplicadores através da transmissão do conhecimento e na capacitação sobre boas práticas no manejo pré-abate e abate de aves, bovinos e suínos para minimizar o sofrimento que possa ser causado aos animais, melhorando o ambiente de trabalho e a qualidade do produto final. Proporciona, portanto, uma vida melhor aos milhões de animais destinados ao consumo.
A adoção dos princípios e conceitos do abate humanitário tornou-se prioridade nos últimos anos. Em 2008, o Ministério da Agricultura e a Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA) firmaram acordo de cooperação visando implementar melhorias no bem-estar no manejo pré-abate dos animais de produção no Brasil. Santa Catarina foi o primeiro Estado a receber o programa, através do qual capacitou fiscais federais agropecuários, agentes de inspeção e médicos veterinários conveniados, além das equipes técnicas dos abatedouros. Quando os frigoríficos melhoram o bem-estar dos animais, diminuem os riscos de fraturas, contusões e hematomas, cai o percentual de mortalidade e melhora a qualidade final do produto cárneo.
Atualmente, as indústrias adotam a política do bem-estar animal em várias linhas de
atuação, implementado treinamentos de toda a cadeia produtiva, englobando produtores, técnicos, transportadores e funcionários de frigoríficos. Nessa área, indústrias, Embrapa e as ONGs trabalham em estreita cooperação. Essa cooperação resulta em projetos de estudos e melhorias em várias áreas que envolvem o bem-estar animal. As empresas têm investido fortemente em adaptações físicas, veículos de transportes, plantas frigoríficas e até mesmo nas propriedades rurais, visando minimizar o impacto do manejo dos animais.
Atualmente, todos os animais abatidos nas plantas frigoríficas respeitam os preceitos do
Abate Humanitário. As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a qualidade ética dos alimentos que consomem. A adoção pelas empresas das boas práticas de bem-estar animal proporcionam segurança dos trabalhadores e dos animais, a facilitação do manejo e do trabalho dos envolvidos com os animais, aumenta a produtividade e a lucratividade da cadeia produtiva e melhora a imagem dos produtos no mercado consumidor, entre outros.
Entretanto, é preciso compreender que, por trás do romantismo dessa questão complexa,
há necessidade de pesados investimentos. Por exemplo, as agroindústrias brasileiras assumiram o compromisso de eliminar até 2026 alguns fatores de desconforto, como as celas de gestação e as gaiolas de poedeiras, usadas na suinocultura e na avicultura industrial. Não existe em nenhum país produtor legislação sobre isso e o Brasil está saindo na frente, neste quesito. Mas essa mudança é um processo caríssimo que exige R$ 1,5 bilhão de investimentos. A vasta cadeia produtiva da carne é avançada, é sustentável, é um orgulho catarinense.
Por José Zeferino Pedrozo - Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (Faesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC)

Veja também

Fibratec apresentará reservatórios para grandes volumes de água11/08/16 A Fibratec Engenharia atua no mercado com espírito empreendedor, fabricando produtos em fibra de vidro, polietileno e polipropileno desde 1987. A empresa possui a solidez de uma marca com credibilidade e visão no futuro. Investindo em novas tecnologias, iniciou suas atividades com soluções inovadoras na área de tratamento de efluentes, reservatórios de grandes volumes e......
Mercoagro 2018: lançamento oficial será na próxima semana04/09/17 Empresários, expositores, apoiadores, autoridades e profissionais de imprensa participarão às 19h30 do dia 14 de setembro, na cantina do Cesec, em Chapecó, do lançamento de uma das maiores feiras técnicas da......
Primeiras cargas via Rota do Milho chegam a Santa Catarina em julho27/06/18 Encerrando um longo período de reivindicações, o lançamento oficial da Rota do Milho está confirmado para os dias 12 e 13 de julho, informou a Secretaria de Estado do Planejamento (SPG). O trajeto é visto pela......

Voltar para Notícias (pt)