NOTÍCIAS

Postado em 27 de Março de 2018 às 14h30

Santa Catarina tem a primeira compartimentação da avicultura de corte do mundo

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Estado, que já é referência em defesa agropecuária, comemora mais uma conquista e se
torna o primeiro do mundo a ter um projeto de compartimentação da avicultura de corte. O sistema implantado na unidade da Seara Alimentos em Itapiranga é resultado de 11 anos de trabalho do Governo do Estado, Ministério da Agricultura e iniciativa privada. A compartimentação funciona mapeando e isolando os aviários e frigoríficos, como um sistema fechado, e é garantia de sanidade animal e segurança alimentar. O certificado reconhecendo o trabalho catarinense foi entregue nesta segunda-feira, 26, em Florianópolis, pelo Ministério da Agricultura.
A unidade da Seara Alimentos de Itapiranga trabalhará com um sistema de produção fechado no qual os ovos, os pintainhos, o abate e os caminhões de ração devem circular dentro de um compartimento. O frango precisa nascer, se desenvolver e ser abatido dentro de uma unidade geográfica – no caso, 28 municípios do Extremo- Oeste catarinense.  A intenção é reduzir o risco de introdução de doenças, aumentar a qualidade dos produtos e garantir a segurança alimentar dos consumidores.
O presidente da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV), José Antônio Ribas, explica que o novo modelo produtivo traz mais segurança sanitária para a avicultura catarinense e demonstra busca incessante pela qualidade dos produtos. “A compartimentação blinda o setor contra possíveis doenças e traz uma capacidade de resposta muito mais rápida frente a qualquer evento epidemiológico. Isso mostra a competência do setor produtivo sempre em busca de qualidade e segurança alimentar”, ressalta.
A expectativa é de que a compartimentação traga maiores ganhos na exportação de aves.
Representantes de países importadores devem visitar o Estado para reconhecer esse sistema como um diferencial das carnes catarinenses.  De acordo com o secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, a biosseguridade é um dos fatores que diferencia Santa Catarina na conquista e ampliação de mercados. “Para termos produção nós temos que ter acesso a mercados competitivos e esses mercados são cada vez mais exigentes quanto à segurança alimentar e à sanidade dos animais. A biossegurança irá nos diferenciar no meio da multidão”, destaca.
O desafio agora é manter a compartimentação no Extremo-Oeste e expandir para outras
regiões. O diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ariel Antônio Mendes, afirma que as expectativas são muito grandes já que o Estado será uma referência mundial para o setor de aves. “A competência da defesa agropecuária de Santa Catarina é reconhecida internacionalmente e não é à toa que o estado vem conquistando os mercados mais competitivos do mundo. Nossa intenção agora é blindar todo o material genético do país”.
A unidade da Seara de Itapiranga tem capacidade de abate de 200 mil aves por dia e exporta para os países mais exigentes do mundo como União Europeia, Reino Unido, Rússia, Japão e Arábia Saudita. A compartimentação inclui 21 núcleos de granjas de matrizes, dois incubatórios, a fábrica de rações de São Miguel do Oeste, 283 granjas de frangos de corte e três fábricas de maravalha de madeira.
Implantar a compartimentação em Itapiranga exigiu um trabalho conjunto entre Ministério da Agricultura, Secretaria de Estado da Agricultura, Companhia Integrada de esenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e iniciativa privada.
 
Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
Crédito da foto: Antonio Carlos Mafalda

Veja também

Porque uma boa fazenda de suínos não pode ficar sem tecnologia24/07/18 A escassez de mão de obra é um dos principais problemas na produção suína moderna. No entanto, mudar para a tecnologia para economizar mão de obra parece um passo gigantesco, diz Casey Bradley, especialista em tecnologia de alimentação de suínos. Ela tem pelo menos três boas razões para considerar mais aplicações......
Receita de exportações de carne de frango mantém alta de 9% em 201705/06/17 Levantamentos feitos pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que as exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura, embutidos e processados) totalizaram US$......

Voltar para Notícias (pt)