NOTÍCIAS

Postado em 11 de Julho de 2018 às 11h31

Safra de grãos deve alcançar 228,5 milhões de toneladas

  • Mercoagro – Edição 2018 -

A estimativa da safra de grãos do Brasil, a segunda maior da história, deve ser de 228,5 milhões de toneladas, com redução de 3,9% ou 9,2 milhões de toneladas em relação à safra passada, quando chegou a 237,7 milhões de toneladas. A expectativa para a área de colheita é de 61,6 milhões de hectares, a maior já registrada. Os números são do 10º levantamento divulgado nesta terça-feira (10), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
Em comparação com o último levantamento, realizado no mês passado, a produção diminuiu 1,2 milhão de toneladas. O resultado da queda se deve aos impactos climáticos que refletiram em nova estimativa de produtividade para o milho segunda safra. Mesmo com menor desempenho neste índice, o cereal terá produção total de 82,9 milhões de toneladas, sendo grande parte desse volume devido à colheita da segunda safra, algo próximo a 56 milhões de toneladas.
Com boa produtividade, a soja é destaque positivo com produção que pode chegar a 118,9 milhões de toneladas, volume recorde, 4,2% superior à safra passada. Registram aumento o algodão em pluma, o feijão segunda safra e o trigo, quando comparados com a safra anterior. O primeiro subiu 28,5%, alcançando 1,9 milhão de toneladas, o segundo, 7,7%, chegando a 1,3 milhão de t, e por último o trigo, com aumento de 15% e alcance de 4,9 milhões de toneladas.
O secretário interino de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sávio Pereira, destacou a produtividade da soja, superior à do ano passado, além da maior área plantada, e também do algodão “com produtividade e área maior”. A safra, segundo ele, vai gerar excedentes para exportação e atender o consumo interno.

ÁREA PLANTADA
Entre as culturas avaliadas, a soja registrou o maior volume de área semeada, passando de 33,9 milhões para 35,1 milhões de hectares, com ganho absoluto de 1,2 milhão de ha. Outros ganhos ocorreram com o algodão que chegou a 1,2 milhão de hectares, graças ao aumento de 236,9 mil ha, e com o feijão segunda-safra, com 1,5 milhão de hectares e aumento de 108,3 mil ha. Neste caso, contribuiu muito o feijão caupi que, pelo acréscimo de 158,5 mil ha, obteve 1 milhão de hectares.

Fonte: Avicultura Industrial

Veja também

Mapa lança cartilha sobre aproveitamento de resíduos da produção de bovinos de corte e leite16/04/18 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lança cartilha sobre o aproveitamento econômico dos resíduos bovinos de corte e leite com o objetivo de auxiliar o produtor a gerar renda a partir dos resíduos e diminuir os custos de produção, bem como reduzir os efeitos na atmosfera de gases como o metano. O estudo promovido pelo Projeto......
BTG afirma que 2016 será o 'ano da carne' e destaca Minerva e Marfrig05/04/16 Banco foge do consenso do mercado e acredita que margens devem ser mais fortes e de longo prazo Para o BTG Pactual, 2016 será o ano da carne. O banco de investimentos prevê margens fortes e afirma que a indústria do setor deve se......

Voltar para Notícias (pt)