NOTÍCIAS

Postado em 23 de Fevereiro de 2016 às 08h41

Receita com exportações de carne suína brasileira sobe 8,7% em janeiro

O Brasil exportou 47,1 mil toneladas de carne suína em janeiro, aumento de 63% em relação a janeiro de 2015

As exportações de carne suína brasileira tiveram forte aumento em janeiro, impulsionadas pela manutenção de grande volumes de compras pela Rússia e pelo aumento da demanda por Hong Kong, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) na quinta-feira (18). O Brasil exportou 47,1 mil toneladas de carne suína em janeiro, aumento de 63% em relação a janeiro de 2015. Esses embarques representam aumento de 8,7% na receita em dólar, que somou US$ 79,7 milhões.

Em reais, a alta foi de 67,2%, a R$ 323 milhões. A Rússia continuou a ser o principal destino para a carne suína brasileira, com a compra de 16,3 mil toneladas em janeiro, aumento de 55% ante janeiro de 2015. Hong Kong elevou as compras em 88%, na comparação anual, para 13,8 mil toneladas.

A China, outro grande comprador, aumentou as compras em 4.000% em janeiro, a 1,6 mil toneladas, ante o mesmo mês do ano passado, diante da habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras para exportarem ao país ao longo de 2015 e início de 2016. “Além destes, em praticamente todos os mercados houve crescimento nas exportações, como é o caso de Cingapura, Argentina e Uruguai”, disse o vice-presidente do setor de Suínos na ABPA, Rui Eduardo Saldanha Vargas, em comunicado.

O resultado positivo das exportações ocorre apesar do aumento dos custos de milho para a nutrição animal no Brasil, o que tem provocado reajustes no preço do carne, segundo a ABPA. O presidente executivo da entidade, Francisco Turra, disse que ainda há preocupação com perda de competitividade registrada pelo setor no começo deste ano.

O custo de produção de suínos em janeiro subiu 6,21%, alavancado pelos custos com industrialização e a aquisição de rações para os suínos que subiram 6,11% no período, segundo informou o Centro de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa na semana passada. Nos últimos 12 meses, os custos com nutrição de suínos subiram 17,76%.

Fonte: Porkworld

Veja também

AB Vista atualiza estudos sobre os efeitos de Cálcio X Fitase na alimentação dos monogástricos20/06 A AB Vista atualiza os estudos sobre os efeitos de altas doses de cálcio e o resultado disso na eficiência da fitase na alimentação de aves e suínos. Atualmente, por ser um nutriente barato, é usado em demasia na dieta dos animais. Ao contrário do fósforo, não há atualmente qualquer sistema que permita que os nutricionistas formulem com......

Voltar para Notícias (pt)