NOTÍCIAS

Postado em 12 de Abril de 2018 às 11h46

Intensificação das vendas a países africanos ajuda a elevar exportação

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Embora Hong Kong e China tenham sido os principais mercados responsáveis pelo bom
resultado das saídas brasileiras de carne suína em março, a intensificação das vendas para
países africanos, como Angola e África do Sul, contribuiu para impulsionar os embarques do período.
De janeiro a março de 2018, a África do Sul já adquiriu 59% mais carne do que todo o ano
passado, quando importou 3,1 mil toneladas. Apenas em março, segundo a Secex, os embarques ao país sul-africano somaram 1,07 mil toneladas, mais que o dobro do mês anterior e 4,5 vezes acima do de janeiro. Para Angola, os embarques alavancaram de 1,3 mil toneladas em fevereiro para 4,3 mil toneladas em março.
Quanto ao mercado interno, de acordo com pesquisas do Cepea, com as vendas de carne
no atacado ainda em ritmo lento, frigoríficos seguem adquirindo novos lotes de animais vivos de forma cautelosa, cenário que mantém os preços do suíno enfraquecidos em muitas regiões acompanhadas pelo Cepea. 


Fonte: Cepea/Esalq

Veja também

Ministério da Agricultura declara 15 estados e DF como área livre de peste suína clássica21/07/16 Parte do Amazonas também está inscrita na zona sem ocorrência da doença, que é altamente contagiosa  O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira, dia 20, uma instrução normativa que declara vários estados e municípios brasileiros livres da peste......
Produção de carnes em MT deve crescer 40% até 2023, diz Rabobank21/06/18 A produção de proteína animal no estado de Mato Grosso deve crescer 40% até 2023, segundo projeção divulgada pelo Rabobank em relatório divulgado nesta semana. Os crescimentos anuais médios da......

Voltar para Notícias (pt)