NOTÍCIAS

Postado em 16 de Fevereiro de 2016 às 16h21

Indústria de carnes busca demanda nobre no País e exterior

Em paralelo ao avanço obtido na abertura de mercados para exportação da carne enquanto commodity, o setor de bovinos trabalha para emplacar cortes mais nobres tanto para consumo interno quanto nas vendas internacionais

No Brasil, a ideia é aproveitar o movimento de expansão da culinária gourmet para descobrir novos usos para os cortes e explorar carnes de maior valor agregado, visto que a proteína bovina convencional tem perdido espaço para outras de custo inferior como o frango.

Existe um movimento interessante de açougues de luxo, hamburguerias, saímos um pouco do rodízio. São tendências que estão surgindo, cortes que ninguém percebia que poderiam ser aproveitados , conta ao DCI o diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Fernando Sampaio, durante evento de lançamento da Semana da Carne , na Sociedade Rural Brasileira (SRB). Em seu pronunciamento, o representante do setor defendeu a aproximação da indústria com o consumidor, para que haja um efeito reverso na cadeia.

Segundo Sampaio, esta já é uma estratégia comum em outros países. Uma vez descobertos estes novos usos para a carne, o próximo passo é levá-los ao mercado internacional, ou seja, o Brasil tem condições de ditar tendências dos cortes bovinos e exportá-los, assim como Paris dita a moda , compara.

Este processo foi iniciado em ações para promoção do gado angus na União Europeia. A Alemanha foi um dos países que receberam o chamado Angus day . Países árabes e até mesmo a China figuram no radar deste nicho.

Árabes em potencial

Visando ampliar sua presença no mercado árabe, a Abiec programa uma série de ações para fevereiro, nos Emirados Árabes Unidos (EAU) e na Arábia Saudita, como presença em feira (Gulfood, em Dubai) e churrascos em Dubai e em Riad para degustação do produto nacional.

Em 2015, as exportações de carne bovina convencional brasileira para os países árabes atingiram faturamento de US$ 1,4 bilhão - 24% do total exportado no ano. Já a Arábia Saudita, que recentemente suspendeu embargo à carne bovina brasileira, traz a possibilidade para o Brasil de exportar 40 mil toneladas.

Fonte: Portal do Agronegócio

Veja também

21 milhões de suínos são monitorados ao mês20/10/17 Líder mundial no fornecimento de análises e relatórios estatísticos sobre custos de produção para a agroindústria, a Agri Stats alcançou, no mês de outubro, o número de 21 milhões de suínos monitorados ao mês. Deste volume, 11 milhões referem-se aos processos de Unidades de Produção de Leitões (UPL),......
Embarques de carne in natura para EUA iniciam em cerca de 90 dias08/08/16 As exportações de carne bovina in natura para os Estados Unidos devem iniciar em cerca de 90 dias, após finalização dos trâmites administrativos realizados pelas autoridades dos Ministérios da Agricultura e......

Voltar para Notícias (pt)