NOTÍCIAS

Postado em 17 de Outubro de 2017 às 16h16

Cotações do milho e da soja registram alta no mercado

Mercoagro – Edição 2018 De acordo com os dados semanais dos pesquisadores do Cepea, as cotações do milho foram impulsionadas em quase 3% no indicador de mercado. Já a soja e seus derivados mantiveram um ritmo lento nos...

De acordo com os dados semanais dos pesquisadores do Cepea, as cotações do milho foram impulsionadas em quase 3% no indicador de mercado. Já a soja e seus derivados mantiveram um ritmo lento nos negócios devido a escassez de chuva no Brasil.
Os preços do milho voltaram a subir na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea, refletindo o maior número de compradores no mercado. Além disso, o bom ritmo das exportações e a divulgação de estimativas da Conab de menor oferta na safra verão 2017/18 também favorecem as altas.
Segundo os dados do Cepea, no mercado paulista, especificamente, os valores foram impulsionados pela demanda mais firme e pela retração produtora. Na sexta-feira, (13/10), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do milho (Campinas/SP) fechou a R$ 31,27/saca de 60 quilos, significativo aumento de 2,9% frente à sexta anterior, (06/10), e o maior preço desde o dia 27 de março deste ano.
Já em relação à soja e seus derivados, as cotações estão em alta no mercado brasileiro. Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso das cotações da soja vem de diversos fatores, entre eles chuvas mal distribuídas no Brasil (que geram incertezas quanto ao avanço do semeio), as recentes precipitações nos Estados Unidos (que interromperam a colheita), a firme demanda global e a retração de produtores brasileiros e internacionais da comercialização de grandes lotes, devido às incertezas sobre o tamanho da safra e o comportamento dos preços nos próximos meses.

Fonte: Cepea/Esalq

Foto MB Comunicação

Veja também

Vendas à China se aproximam de 40% das exportações de carne bovina16/11/17 Segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), o apetite chinês pela carne bovina brasileira não dá sinais de arrefecimento. "E ele vem compensando amplamente as quedas de vendas para os países da União Europeia, devido à Operação Carne Fraca, e a não confirmação da abertura do mercado......
Faesc destaca esforço na abertura de novos mercados para o agronegócio16/10/15 A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) elogiou a ação de defesa do setor primário e de abertura de mercados para a agropecuária catarinense que a ministra Kátia Abreu,......
25% das empresas expositoras da Mercoagro 2018 são de Chapecó12/09/18 A Mercoagro 2018 (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne) nasceu em Chapecó e contribuiu para o crescimento de muitas empresas da cidade e da região. Muitas delas participam da 12ª......

Voltar para Notícias (pt)