NOTÍCIAS

Postado em 13 de Junho às 14h33

Conab estima colheita de 230 milhões de toneladas de grãos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou nesta terça-feira (12) nova
estimativa da colheita de grãos de 2017/2018, que deverá ser a segunda maior da história, depois do recorde do ano passado, situando-se em 229,7 milhões de toneladas. A área plantada se destaca na série histórica, com total de 61,6 milhões de hectares.
Apesar da redução de 3,4% em comparação à safra passada de 237,7 milhões de toneladas, a previsão de resultado está acima da média de produção, levando em conta um período de condições atmosféricas normais. Com referência ao levantamento divulgado em maio,
a estimativa mostra diminuição de 2,9 milhões de toneladas. Fato atribuído a impactos climáticos no milho segunda safra. Mas se destaca a produtividade alcançada pela soja e pelo milho primeira safra, cuja colheita está perto do fim.
"No caso do milho, nós estamos relativamente confortáveis, porque temos um estoque elevado. Mesmo com essa queda de 12 milhões de toneladas, prevista por enquanto, o estoque nos garante tranquilidade do ponto de vista do suprimento. Com os outros produtos estamos, também, bem posicionados", avaliou o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wilson Vaz de Araujo, durante a divulgação do levantamento da Conab.
No pico de volume, estão o milho total e a soja, cujo avanço na colheita vem confirmando
produtividade de 3.359 kg/ha, próxima do recorde anterior de 3.364 kg/ha. A leguminosa chega a 118 milhões de toneladas e o cereal a 85 milhões de toneladas. O milho segunda safra responde por 70% do total, com 58,2 milhões de toneladas, e, a primeira safra, por 26,8 milhões de toneladas.
Na ordem de aumento da produção, vem o algodão em pluma, com volume de 1,9 milhão
de toneladas, 28,1% a mais que na safra anterior. O feijão segunda safra também mostra bom desempenho, com aumento de 10,9% e colheita de 1,3 milhão de toneladas.

Fonte: MAPA

Veja também

Sauditas proíbem insensibilização em frangos e ameaçam embarques do Brasil29/03 O plano da Arábia Saudita de aplicar regras mais rígidas para o abate halal de frangos nos países exportadores é o último revés dos produtores do Brasil, o maior fornecedor mundial. Empresas como BRF e JBS, que já lidavam com investigações, com o aumento do custo da ração animal e com a queda das exportações, agora podem......

Voltar para Notícias (pt)