NOTÍCIAS

Postado em 15 de Janeiro de 2018 às 08h50

BRF lança nova marca Kidelli com processados à base de aves e suínos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

A BRF, dona da Sadia e Perdigão, apresentou na última semana sua nova marca, a Kidelli,
que vai oferecer aos consumidores alimentos processados à base de aves e suínos. O vice-
presidente de Negócios da companhia no Brasil, Alexandre Almeida, disse, em teleconferência com jornalistas, que a marca vai atuar em segmentos diferentes dos de Sadia e Perdigão, com 14 produtos inicialmente, como presuntos e hambúrgueres. "O lançamento é uma oportunidade de ampliar nossa participação", afirmou.
A distribuição da Kidelli será independente de Sadia e Perdigão, disse o executivo, que
reforçou que não deve haver canibalismo entre as marcas da casa. A BRF fará apenas a
distribuição do produto para redes de atacarejo e distribuidores independentes, sem negociar diretamente com supermercados, por exemplo. Segundo Almeida, a marca deve concorrer com marcas regionais e outras nacionais, que têm um portfólio "posicionado para preços mais baixos".
Cinco unidades vão produzir a marca, principalmente as de Uberlândia (MG) e de Videira
(SC). A ideia é que a empresa aproveite a capacidade ociosa dos frigoríficos e também a matéria-prima excedente das produções já existentes. Ele afirmou que a marca vai agregar valor às margens da BRF, "com matérias-primas que são vendidas nos mercados interno e externo, hoje sem agregação de valor".
A Kidelli deve chegar com preço cerca de 15% abaixo da média do mercado de
processados, segundo Almeida. O executivo evitou falar sobre segmentação social de público-alvo e disse que a marca é voltada para consumidores que "buscam conjugar sabor com preço acessível".
A terceira marca de consumo da companhia vai atuar em um segmento responsável por
mais de 30% das vendas de alimentos processados no País. Inicialmente, a Kidelli atuará em nove categorias. "O portfólio da nova marca será uma opção tanto para compra diária de alimentos para consumo em casa, quanto para transformadores que buscam produtos de qualidade com preço competitivo", disse Almeida. "Nos últimos três anos, a BRF investiu R$ 560 milhões em inovação e parte desse montante foi para o desenvolvimento da nova marca", concluiu. 

Fonte: Broadcast Agro/Suinocultura Industrial

Veja também

Frimesa anuncia início das obras do maior frigorífico da América Latina11/10/17 Na primeira etapa, investimento de R$ 600 milhões vai gerar mais de 3.000 empregos diretos   No próximo dia 19 a cooperativa central Frimesa, do Oeste do Paraná, começa a construir no município de Assis Chateaubriand o maior frigorífico da América Latina, que terá capacidade de abate de mil cabeças de suíno por hora. Na primeira......

Voltar para Notícias (pt)