NOTÍCIAS

Postado em 23 de Abril de 2018 às 13h16

Brasil e Paraguai simplificam regras para o comércio bilateral de bovinos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento, Guilherme Marques, e o presidente do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (SENACSA) do Paraguai, Hugo Frederico Benitez, assinaram acordo de simplificação do comércio de bovinos entre os dois países. Na prática, foi feita a revisão do Certificado Veterinário Internacional (CVI) para o comércio de bovinos para reprodução entre o Brasil e o Paraguai.
O ministro da Agricultura e Pecuária do Paraguai, Marcos Medina, participou da assinatura,
realizada em agenda paralela à 45ª Reunião da Comissão Sul Americana para Luta contra a
Febre Aftosa (Cosalfa), realizada em Santa Cruz de La Sierra, Bolívia, durante a última semana.
Participaram também representantes dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul,
envolvidos nesta movimentação internacional de animais, devido à sua proximidade com o
Paraguai.
A revisão do Certificado Veterinário Internacional realizada pelo DSA, seguiu as normas da
Comissão Regional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para as Américas. Entre as simplificações, está a eliminação de exames laboratoriais que não eram mais exigidos pela OIE para o comércio internacional de bovinos. Mas o diretor do DSA afirma que “será mantido o nível de segurança sanitário necessário a este comércio”.
A estimativa é de que, com esta atualização, até o fim deste ano, deverão ser exportadas
45 mil cabeças de bovinos do Brasil para o mercado paraguaio. Os animais serão destinados à reprodução e melhoramento genético do rebanho daquele país.

Fonte e foto: MAPA

Veja também

Brasil obtém aprovação para exportar leite e produtos lácteos para o Japão07/11/17 A Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), recebeu, no dia 1º de novembro, comunicado da abertura do mercado japonês para o leite e produtos lácteos do Brasil. A negociação demorou dois anos até a aprovação do Certificado Sanitário Internacional. Pelo......

Voltar para Notícias (pt)