NOTÍCIAS

Postado em 21 de Maio às 13h19

Biotecnologia entra na pauta de negociações com a China

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Na pauta da última agenda da missão internacional para expandir o mercado brasileiro de
agronegócio na China, o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), esteve na sexta-feira (18), com o ministro da Agricultura de Hangzhou, discutindo sobre biotecnologia.
Segundo Blairo Maggi, a política de uso de OGM (Organismo Geneticamente Modificado)
estabelece normas de implementação que vão desde a comercialização ao consumo. “Há dois anos a comissão chinesa que corresponde a uma CNTbio (no Brasil) não se reunia conosco para discutirmos a pauta de transgênicos, e por isso, estávamos impedidos de vender pra eles”, disse o ministro.
China é o segundo maior mercado consumidor e importador de todo o mundo e importará mais de US$ 10 trilhões nos próximos 5 anos. “Precisamos avançar nas negociações e saímos daqui muito otimistas. Nossa agenda na Ásia foi desde reanálise de salvaguardas a alguns de nossos produtos; a questão da biotecnologia; a ampliação da pauta de exportação para mais noves produtos e, ao final, a abertura do mercado da Coreia do Sul para a carne suína brasileira. Temos muito a comemorar e a fazer daqui pra frente”, salientou Blairo Maggi.
O ministro e comitiva seguem para Paris onde participaram da cerimônia oficial de entrega
da certificação sanitária pela OIE ao Brasil, de país livre da febre aftosa com vacinação, exceto o estado de Santa Catarina, que já é livre sem vacinação.

Fonte: MAPA

Veja também

Seara Alimentos quer fechar 2018 com 80 mil matrizes Topigs Norsvin18/01 Um dos maiores players mundiais do setor, a Seara Alimentos projeta forte ampliação do plantel de matrizes suínas que leva a assinatura da Topigs Norsvin, líder mundial em pesquisa e desenvolvimento da genética suína. “Partimos de 35 mil matrizes em 2016, alcançamos 50 mil no ano passado e temos como meta ampliar para 80 mil fêmeas neste ano de......
Proteína animal terá estabilidade no mercado em 201822/01 Os preços das carnes ao consumidor deverão permanecer estáveis no primeiro semestre de 2018, estima a empresa de pesquisa de mercado GfK. No acumulado de 2017, os valores caíram 4,5% para a carne bovina e 10,7% para a de......

Voltar para Notícias (pt)