NOTÍCIAS

Postado em 09 de Julho de 2018 às 15h08

ABPA: Banco do Brasil renegociará dívida de produtor de aves e suínos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Banco do Brasil renegociará dívidas de custeio e investimentos de produtores de aves e suínos, informou na sexta-feira, 6, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em nota. A medida atende a um pleito da entidade para minimizar os danos provocados pela greve dos caminhoneiros, ocorrida entre maio e junho, e por embargos internacionais à exportação de carnes.
Segundo a associação, o banco apresentou a proposta de renegociação na quinta-feira, 5, em reunião realizada em Brasília. Estiveram presentes o diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin, o vice-presidente de Agronegócios do BB, Tarcísio Hübner, e o diretor de Agronegócios do BB, Marco Túlio Moraes da Costa.
A instituição disponibilizará “medidas simplificadas de prorrogação de dívidas rurais” com parcelas vencidas em 2017, ou com prazo de vencimento em 2018, nos casos de investimentos e custeios prorrogados em anos anteriores, com a reprogramação das parcelas para um ano após o fim do contrato. Especificamente no custeio, as condições incluem pagamento de 30% da dívida no ato e a quitação do saldo restante será em 2 parcelas, sendo a primeira delas em 2019.Os suinocultores ainda terão a opção de acessar linhas de crédito, com prazo de até dois anos para pagamento, para retenção de matrizes. As taxas de juros serão de 6% ao ano para produtores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e 7% ao ano para os demais.

“A compreensão da diretoria do Banco do Brasil à situação do setor vem em um momento
fundamental, em que a cadeia produtiva busca se reestruturar após os embargos de exportação e fortes prejuízos causados aos avicultores e suinocultores pelos bloqueios nas estradas”, comenta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Dinheiro Rural

Veja também

A busca por novos mercados para a carne suína brasileira24/07/18 No ano passado, a Rússia representou 38% do total de carne suína embarcada para o exterior. Foi devido a essa alta representatividade que o setor produtivo estremeceu diante dos embargos do país ao suíno brasileiro. Em apenas um semestre, as exportações de carne suína caíram 19%. O impacto não foi menor, como se vê, devido ao aumento das remessas......
Cresce produção de suínos e aves em Mato Grosso do Sul06/02/16 A avicultura e suinocultura encerraram 2015 com aumento no volume abatido, mas o desempenho do setor foi afetado pela alta nos custos de produção A avicultura e suinocultura em Mato Grosso do Sul encerraram 2015 com aumento no volume......

Voltar para Notícias (pt)