NOTÍCIAS

Postado em 09 de Julho às 15h08

ABPA: Banco do Brasil renegociará dívida de produtor de aves e suínos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Banco do Brasil renegociará dívidas de custeio e investimentos de produtores de aves e suínos, informou na sexta-feira, 6, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em nota. A medida atende a um pleito da entidade para minimizar os danos provocados pela greve dos caminhoneiros, ocorrida entre maio e junho, e por embargos internacionais à exportação de carnes.
Segundo a associação, o banco apresentou a proposta de renegociação na quinta-feira, 5, em reunião realizada em Brasília. Estiveram presentes o diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin, o vice-presidente de Agronegócios do BB, Tarcísio Hübner, e o diretor de Agronegócios do BB, Marco Túlio Moraes da Costa.
A instituição disponibilizará “medidas simplificadas de prorrogação de dívidas rurais” com parcelas vencidas em 2017, ou com prazo de vencimento em 2018, nos casos de investimentos e custeios prorrogados em anos anteriores, com a reprogramação das parcelas para um ano após o fim do contrato. Especificamente no custeio, as condições incluem pagamento de 30% da dívida no ato e a quitação do saldo restante será em 2 parcelas, sendo a primeira delas em 2019.Os suinocultores ainda terão a opção de acessar linhas de crédito, com prazo de até dois anos para pagamento, para retenção de matrizes. As taxas de juros serão de 6% ao ano para produtores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e 7% ao ano para os demais.

“A compreensão da diretoria do Banco do Brasil à situação do setor vem em um momento
fundamental, em que a cadeia produtiva busca se reestruturar após os embargos de exportação e fortes prejuízos causados aos avicultores e suinocultores pelos bloqueios nas estradas”, comenta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Dinheiro Rural

Veja também

Consumo de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018, indica Cepea10/01 Segundo análise do Cepea o consumo doméstico de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018, o que corresponde a 49,6 mil toneladas a mais frente ao estimado para 2017. Esse incremento na demanda tem como base o cenário mais conservador de crescimento do PIB previsto pelo Banco Central do Brasil (BC), de 0,62% em 2018. Conforme dados dos pesquisadores, o cálculo é para um......
Tarifas da China aos EUA podem elevar protecionismo05/04 O ex-ministro da Agricultura e coordenador do Centro de Estudos do Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Roberto Rodrigues, mostrou preocupação com a aplicação por parte da China de......

Voltar para Notícias (pt)